Club Pathfinders Araras Azuis
Associação Paulista Leste

Data shown here is the responsibility of Club director Araras Azuis
Araras Azuis

Araras Azuis

Pathfinders

  • Members 19
  • Leadership 11
  • Total 30

Club information

Foundation

13/06/2014 (5 YEARS)


Region

DESBRAVADORES - 4ª


Address

RUA ENSEADA DAS GAROUPAS, 82 - JD SILVA TELES
SÃO PAULO - SÃO PAULO
08110210


Main meeting

SUNDAY
09:00:00


External link

Click here to access

Classification

QUEM SÃO OS DESBRAVADORES ARARAS AZUIS??

Corria o ano de 1995, o bairro do Itaim paulista estava sem um clube de desbravadores que o representasse, isso devido a falta de pessoas que levassem avante essa difícil tarefa. O ano anterior tinha sido um ano bem bacana, no então chamado clube APOLO XII, dirigido pelo então diretor Marcelino-“O GORDO”, com atividades bem desenvolvidas tais como acampamento de instruções, campanha de arrecadação de alimentos, campanha do pedágio (prática hoje não permitida, mas que consistia em parar os motoristas em faróis movimentados e pedir uma ajuda para a entidade), reuniões regulares aos fins de semana, etc.Com o findar do ano de 1994 a direção do então chamado clube “APOLO XII” não conseguiu manter o trabalho e se desfez, a chegada do novo ano revelou que o bairro não tinha mais aquele grupo de crianças animadas de todos os domingos, que ocupava a quadra da Escola Estadual Armando Gomes de Araújo sempre as 7:00 hs da manhã para o infortúnio dos vizinhos da unidades escolar.As crianças que participavam de tais atividades não tinham mais o que fazer aos sábados e domingos e passaram a freqüentar timidamente o clube que estava bombando no Jardim Camargo Velho, o recém criado clube APACHES, mas a distância não ajudava, apesar de haver boa programação e orientação.Líderes da iasd itaim paulista passaram a se preocupar com a falta do trabalho desenvolvido pelo APOLO XII procurando encontrar alguém disposto a reiniciar o trabalho. Foi quando “GLEIDSON” O 1º ANCIÃO da iasd Itaim paulista convidou o recém chegado do mundo da bagunça e das gincanas de rua “DOUGLAS CARVALHO”, sua experiência em lidar com crianças e adolescentes era vasta, foi co-fundador d “EQUIPERALTA” uma das melhores equipes de gincana de toda região que abrange São Miguel paulista, Itaim Paulista, e Guaianzes e agora estava aceitando o desafio de iniciar um trabalho que nem fazia idéia do que se tratava.O trabalho começou. Antes de convidar as crianças, foram chamados alguns líderes de renome da região: Ednilson Nery , que pouco falava mas, que muito agia e planejava. Gilson ( o nego ), perito em navegação em matas ,especialista em técnicas de excursionismo pedestre e práticas de esportes verticais. Henrique docinho ( o rique ), estrategista nato e negociador. Manuelino ( o mané ),nosso bom e velho pescador, exemplo de desportista, uma revelação no atletismo. Joares ( o raposão ), velho mateiro, conhecedor de técnicas inexplicáveis para fazer fogos rústicos. Nilson ( o Amado ), guerreiro que manja de tudo, uma lenda no desbravadorismo. Toda essa turma foi reunida e em meio a tanta gente preparada estava dois meninos representando os demais, Vagner Fesa ( o tio chico ) moleque doido de pedra e bagunceiro e Everson ( o Tatu ) atual baixo do quarteto comunnion, contudo havia experiência sobrando e o diretor (Gleydson) com seu vice ( Douglas) nada sabiam, estavam engatinhando no caminho do desconhecido, mas confiavam naqueles em quem tinham depositado confiança.Após algumas reuniões de orientação e distribuição de cargos, as atividades começaram.As crianças foram convidadas e no dia marcado a 1ª reunião aconteceu com o apoio dos conselheiros Vanessa Vaz, Gisele, Ellen Botelho, Paulo, Wilson e Roberto Nolasco. Foi algo mágico, era como se todo o tempo perdido tivesse sido guardado num pacote de alegrias. Ordem unida, nós e amarras, corrida, música, gincanas. Tudo corria dentro do planejado.A equipe notou que as práticas do desbravadorismo não estavam ligadas ao nome do clube que chamava-se APOLO XII. Veja: Apolo 12 foi a segunda missão do Programa Apolo a pousar na superfície da Lua e a primeira a fazer um pouso de precisão num ponto pré-determinado do satélite, a fim de resgatar partes de uma sonda não tripulada enviada dois anos antes, a Surveyor 3, e trazer partes dela de volta à Terra, para estudos do efeito da permanência lunar sobre o material empregado no artefato.Após algumas discussões sobre o nome atual, foi decidido que o nome do clube deveria ser mudado para algo que representasse melhor a realidade empregada nas atividades e práticas do desbravadorismo.PRONTO. AGUERRA ESTAVA ARMADA!! Parte dos líderes que compunham a força tarefa de reiniciação do clube era de outro lugar, enquanto a outra metade havia acompanhado toda a história daquele que havia sido fundado a mais de duas décadas, o APOLO XII. As crianças e adolescentes se dividiram, a direção se dividiu e agora a democracia tinha que existir para que não chegassem a decisões arbitrárias dentro de algo que estava maravilhosamente bem.Num sábado a tarde, a sala com mais de 90 pessoas, uma urna surgiu e papeis foram distribuídos. Agora todos deveriam votar a favor ou contra a troca do nome da entidade, era a direita neo-liberal contra os de extrema esquerda conservacionistas que não aceitava a troca do nome, pois entedia que isso significava o esquecimento de toda uma historia com mais de 20 anos.A urna se abriu, todos haviam votado, alguns papeis continham frases de revolta e deboche. A contagem foi feita, lentamente, os desbravadores e a direção observava cada movimento dos responsáveis por essa empreitada, a contagem era dita em voz alta, cada voto era um pulo diferente. O resultado? Os que queria a mudança ganharam! Agora haveria uma nova eleição para criar um nome favorável. Aquele dia foi um dia triste para muita gente, alguns que fizeram parte da historia do passado até hoje não aceitam a mudança.As semanas foram passando e o clube não tinha mais nome, foram sugeridos alguns nomes que não aceitos acabaram caindo no esquecimento, entre eles AVENTUREIROS sobreviveu cerca de três semanas até decidir a data da eleição. A data foi marcada, todos compareceram com seus nomes prediletos, dentre eles os que queria continuar com o nome APOLO XII, castores, os cobras,aventureiros,... ARARAS AZUIS. A briga foi feia, a eliminação dos nomes foi lenta, ninguém abria mão dos nomes que mais gostava e aos poucos, bem aos poucos foi afunilando a historia e o nome escolhido foi Araras Azuis. O mais novo clube de desbravadores do Brasil tinha um nome que representava as matas brasileiras e que estava entrando em extinção, era uma forma de divulgar o que estava acontecendo com essa ave que está entre as mais belas da falas do nosso país.O ano de 1996 chegou e o clube já tinha nome novo e estava prestes a investir (formar) 60 crianças e adolescentes na 1º investidura do ano.Duas fanfarras foram convidadas, para circular no bairro horas antes da cerimônia. Foi algo encantador, nunca vimos tantos flash, haviam muitas máquinas fotográficas e filmadoras por todos os lados, as pessoas saíam nas ruas para ouvir e ver marchar, o que eles chamavam de escoteirinhos da igreja. Curiosos muitos perguntavam como colocar seus filhos para participar o que realmente aconteceu. A investidura foi marcada por uma pioneira de três andares feita apenas com madeira e corda de sisal com três barracas armadas sobre os pisos superiores, certamente esse dia ficará para a eternidade de todos os que naquele dia fizeram parte do evento.O ano de 1996 estava passando e o grande dia ainda estava por vir, as crianças iriam representar o bairro do itaim paulista no acampamento de competições conhecido como CAMPORÍ, competindo ao lado de outros 40 clubes de bairros e cidades diferentes. Os gastos eram altos, havia um valor a ser pago para cada componente. Não tínhamos barracas e nem lonas, os uniformes foram feitos com ajuda de pessoas que nos fizeram doações, mas a pioneira foi feita, a mais bela do acampamento. Três andares falavam à todos ali quem era o clube que chegou do Itaim paulista.A competição pegou fogo. Os desbravadores vestiram a camisa e encararam cada prova como se fosse a última, davam o sangue e o suor para não perderem nenhuma prova sequer. Quatro dias de disputa assidrada, dias de chuva também, as crianças diziam estar no lamurí, devido a imensa quantidade de lama existente no local. Ao final veio o grande momento, a entrega dos troféus e do padrão de cada clube participante. A arena estava tomada por centenas de pessoas o nosso diretor GLEYDSON foi chamado ao palco, recebeu o canudo com o padrão e o troféu, foi abraçado quando fez na areia, ao lado da turma, a marca com o pé que mostrava o padrão “A” e o trofeu foi beijado por todos que levantavam o diretor e jogavam para ao alto, o mesmo foi feito com o vice diretor DOUGLAS e os demais ajudadores. Uma única prova nos separou do segundo colocado APACHES e recebemos uma carta da organização que declarava o clube ARARAS AZUIS o campeão oficial do camporí de 1996.Desde então estamos contando nossa historia através de eventos e fotos, acampamentos, trilhas, brincadeiras, passeios, e muita aprendizagem . Já fomos confundidos com escoteiros sim!! muitas vezes, e isso faz parte também. O importante é que já estamos indo para duas décadas de história, marcada por muita mas, muita alegria. Muitas pessoas passaram por aqui e depois foram em busca do seu próprio caminho. Acreditamos que foram felizes enquanto viveram essa realidade. Já choramos juntos, brincamos juntos, brigamos juntos e nos preocupamos juntos também e o que mais interessa é que DEUS esteve junto o tempo todo. È uma vida de renúncia, muitas coisas são feitas sem o apoio que deveria existir e mesmo assim estamos aí atropelando o que vier no caminho pois, o que mais interessa é mostrar àqueles que estão ao nosso lado que servir a JESUS pode ser uma aventura!!!
Ótimo lugar para se estar e desenvolver seu relacionamento com Deus e com a natureza.Um lugar que ensina os jovens e as crianças a sobreviver sempre confiando em Deus e seguindo seus mandamentos.