Clube de Aventureiros Albatroz
Associação Mineira Central

Os dados apresentados aqui são de responsabilidade da diretoria do clube Albatroz
Albatroz

Albatroz

Aventureiros

  • Membros 17
  • Diretoria 8
  • Total 25

Dados do clube

Fundação

01/01/2014 (8 ANOS)


Região

REGIÃO 07 - AVENTUREIROS


Endereço

RUA ALFREDO AVELINO DINIZ, 409 - CAMILO ALVES
CONTAGEM - MINAS GERAIS
32017-150


Reunião principal

SÁBADO
15:00:00


Classificação 2021

Este Clube foi 05 Estrelas em: 2021

HISTÓRIA DO CLUBE ALBATROZ
Após coletar dados de pessoas que atuaram junto ao Clube, apresento este relatório sobre a História do Clube de Aventureiros Albatroz:
2000: Após sua formação no magistério e sua atuação junto ao Ministério da Criança da Igreja, Kelly Tostes busca junto ao secretário Jovem da época, Cláudio Meirelles, orientações sobre como realizar um melhor trabalho com as crianças da Igreja. Como na AMC ainda era recente o Clube de aventureiros, os recursos eram precários. Ela conhece então a diretora do Clube OS VIGILANTES, que apoiaram, instruíram e incentivaram os primeiros momentos do Clube em Contagem. Depois de apresentar a Comissão a proposta para a formação do Clube, foi instruída a receber um treinamento mais apurado, o que foi uma dificuldade pois não havia esse tipo de treinamento na época. Surgiu então, na AMC, a necessidade de um curso. É quando acontece o 1º Curso de Dirigentes de Aventureiros, coordenado pelo secretário do Ministério Jovem, Cláudio Meirelles. Em 28 de Agosto de 2000 acontece a abertura oficial do Clube, tendo a participação especial do Clube Os Vigilantes, que foi de vital importância nesse inicio de caminhada do Clube Albatroz.
2001: Votado e aprovado pela comissão da Igreja o início das atividades oficiais do Clube, que adotou o mesmo nome do Clube de Desbravadores e de Jovens: Clube Albatroz. É interessante notar o interesse de que o nome do Clube fosse o mesmo, devido a se dar continuidade, desde o mais novo até o mais jovem, à formação espiritual das crianças, juvenis e jovens da Igreja. Kelly Tostes foi votada como a 1ª diretora do Clube, juntamente com sua prima Josiane Cunha.
2002: Kelly continua como diretora do Clube e, juntamente com o Rafael Cunha (que era um desbravador), deram continuidade as atividades do Clube na IASD de Contagem. Acontece, em maio de 2002, o primeiro acantonamento do Clube de Aventureiros Albatroz. Realizado no lote dos Irmãos Fernando e Lúcia e com o tema Nos Passos de Jesus, emocionou a todas as crianças, pois era a 1ª vez que acampavam de barraca. Com muita ralação de Cross e momentos Espirituais significativos, o Clube Albatroz começa a dar os seus primeiros passos na formação de novos líderes infantis. Os primeiros aventureiros do Clube foram: Luiz Fernando Barros, Igor Cunha, Luiggi Cunha, Luiz Henrique Cunha, Hugo Brito, Wemerson Franco, Viviane Franco, Taline Maria Fernanda Santos, Caroline, Lorena Cunha.
O Clube participa também do 1º Aventuri da AMC “Jesus em Minha Vida, que aconteceu no CATRE nos dias 14 a 16 de Junho. Os aventureiros dormiram em barracas e cada clube providenciou sua própria cozinha. Foi um Aventuri emocionante e ao mesmo tempo serviu de experiência para todos os participantes.
2003 a 2008: Outros nomes foram adicionados ao corpo da diretoria: Cristiane Tostes (2003), Leny Reis (2004,2005), Sérgio Paiva (2004), Maria Luiza (2005), Maria Ercília (2006),Vilma Cantão (2007 e 2008), Lúcia Helena (2007), Geisyane (2008), Berenice Goulart, Maik, Simone... todos estes agregaram conhecimentos e ajudaram no desenvolvimento dos primeiros passos nos primeiros anos do Clube Albatroz.
2009 e 2010: Uma nova diretoria assume o Clube de Aventureiros Albatroz: Ana Cunha e Rúbia (2009) e Ana Cunha e Jefferson Damasceno (2010). Tendo como foco a missão, e o lema “os filhos da Igreja são nossos filhos”, Tia Ana (como é carinhosamente chamada por todos) acredita que “se deve ter amor e responsabilidade no desenvolvimento espiritual dos pequenos”. Para ela, “o maior retorno é o carinho das crianças”. Relembra, com saudade, do Aventuri que participou, e do quão emocionada ficou com a participação da Paty e Xiquinho e da Turma do Nosso Amiguinho.
Outra ênfase dada por ela é “o apoio incondicional da Igreja Local”. Sem esse apoio, ela relata, não seria possível realizar as atividades e programações do Clube.
2011 a 2013: Outros nomes foram sendo acrescentados a diretoria e a história do Clube Albatroz: Leni Reis (2011 e 2013), Faylla (2011), Edilene Morais (2011 e 2013), Cristiane Tostes e Rúbia (2012), e Márcia Medeiros (2013).
2014 e 2015: “Quando decidi aceitar o desafio de ser diretora nos anos 2014 e 2015, foi uma ligação forte com o Ministério, até diria amor a 1ª vista, algo sem muita explicação” conta Kika. “Eu queria servir a Jesus, e ali, no Clube de Aventureiros Albatroz, foi a chance de unir serviço, habilidade e Missão”. Segundo ela, a falta de experiência foi um ponto importantíssimo, pois a ajudou a crescer com as suas escolhas, e lhe incentivou a crescer mais na fé, a estreitar laços de amizade no Clube e a se envolver cada dia mais na Igreja. Juntamente com Silvana Neves e Jéssica (2014 e 2015), e Ricardo Miranda (2015) formaram o time de diretores do Clube Albatroz. O maior desafio foi o de participar de um Aventuri em Mateus Leme, com 14 crianças e apenas 3 adultos, todos mulheres. “e como fazer com os meninos do Clube?” pensou ela. Mas Deus providenciou amigos: Robson, Juninho e Eliasibe, que fizeram arranjos e puderam prestar assistência aos meninos do Clube. Segundo ela “O Aventuri EU SOU A MENSAGEM ficou marcado na minha vida e no meu coração”.
Outra experiência marcante desse período foi a participação do Instituto Educacional AMAR no Clube. Para Kika, essa parceria foi uma verdadeira dádiva; tornando-se a primeira escola que abraçou o Ministério dos Aventureiros da história. “Desenvolver as atividades do Currículo do Ministério dos Aventureiros junto a essas crianças foi colocar em prática o verdadeiro sentido de Salvação e Serviço”, finaliza Kika.
Devido ao acréscimo do Instituto AMAR, essa foi a época de maior participação de crianças no Clube de Aventureiros Albatroz, chegando a média de 85 aventureiros.
2016 a 2019: Nova Diretoria assume o Clube de Aventureiros nesse período: Rubia, Jessica e Jeferson (2016); Rubia, Gilson e Rachel (2017); Rubia, Gilson, Rachel e Cristiane Tostes (2018); Rubia, Gilson, Cristiane Tostes (2019). Foi a época em que um número maior de pessoas precisou ser agregadas para participar e atuar na direção do Clube: Eline, Carol, Leonardo, Luciana, Daphne, Talita, Cássia... dentre outros, vieram para somar e agregar conhecimentos ao Clube de aventureiros Albatroz. Segundo conta Rúbia “o maior diferencial do Clube, dentre todos os Clubes da AMC, foi a evangelização”. Para ela, “evangelizar as crianças é cumprir a Missão”. Missão essa que “realizo com muito amor e responsabilidade”, conta ela. “Foi desafiador. Enfrentamos críticas, momentos desanimadores, mas em tudo, Deus nos abençoou. O Clube só foi crescendo, muitas famílias sendo agregadas, e a Obra avançando”. Cada atividade realizada pelo Clube nessa época tornou possível uma maior aproximação das crianças com Jesus.
2020: O ano traz consigo uma nova roupagem para o Clube de Aventureiros: Luciana, Gilson e Daphne assumem a diretoria do Clube, juntamente com a equipe: Leonardo, Rubia, Rachel, Cassia, Eline, Talita, Layãna, Tatiana, Carol, Fabiane e Janaina.
O que dizer desse período como diretora do clube Albatroz? Se me pedissem para resumir em uma única palavra, eu diria: Fé. Ano de pandemia, um currículo totalmente lúdico, nenhuma experiência. o que fazer? Ter fé. E foi nos passos da fé que o Clube seguiu durante o ano de 2020. Reuniões via zoom e google meet. Gravações das atividades em vídeo. Nunca utilizamos tanto os recursos tecnológicos quanto nessa época. Foram dias de incertezas, choros, noites mal dormidas e fé. A frase da época era: tenha fé, tudo vai passar. Mas a experiência inusitada para todos nós nos fez enxergar que, não importa em qual circunstância, a Missão não pode parar. E não paramos; seguimos com fé. Não apenas fé de que tudo iria passar, mas Fé principalmente no Deus que nunca falha. O ano de 2020 terminou com outra palavra: gratidão. Gratidão a Deus que nos fez seguir em frente com Fé.
Um outro diferencial dentro desse ano já tão diferente é a presença dos pais compondo a direção do Clube. Achei importante destacar esse fato que não existia na história do Clube. Agregar a família ao Clube, estreitou ainda mais os laços Aventureiros - Igreja – Família e uniu ainda mais os pais aos filhos nesse período tão difícil.
2021: Novamente Rubia assume como diretora do Clube. Devido sua experiência, isso se torna necessário para o Clube enfrentar mais um ano de pandemia. A direção já não é mais tão extensa quanto no ano anterior; e mesmo em meio aos desafios de mais um ano de vídeos, lives e reuniões virtuais, a Missão continua. O maior desafio desse ano tem sido o de agregar novas crianças ao Clube, o que se tornou ainda mais difícil por conta do distanciamento social.
Conhecer a História do Clube nos faz enxergar o quanto a Mão de Deus tem guiado esse Ministério. São 20 anos de lutas, desafios e dificuldades. Só que nós também podemos ver 20 anos de alegrias, missão cumprida e vitórias. Cada diretoria, cada conselheiro que passou pelo Clube trouxe um pouco de si e levou do Clube um pouco para si. Crescimento espiritual, fortalecimento da fé, experiência e aprendizado compõe a linha do tempo desse Clube tão especial. Sabemos que falta pouco tempo para Jesus voltar. Sabemos que os que vieram, e fizeram até aqui parte da história desse Clube deixaram seu legado. E o que mais podemos ter certeza é que, mesmo que Jesus não volte logo e muitos outros venham após estes que por aqui passaram; todos, sem exceção, continuarão a cumprir a Missão.
Gosto de usar as palavras para definir cada situação. E, ao concluir esse relatório, o faço com uma única palavra: Ébenezer! Maranata!
INSTAGRAM : aventureirosalbatroz