Club de Conquistadores Luz das Américas
Associação Sul Paranaense

Los datos presentados aquí son de responsabilidad de la directiva del club Luz das Américas
Luz das Américas

Luz das Américas

Conquistadores

  • Miembros 13
  • Directiva 13
  • Total 26

Datos del Club

Fundación

26/05/1985 (34 AÑOS)


Región

REGIÃO 10 - DBV


Dirección

RUA SENADOR BATISTA DE OLIVEIRA, 154 - JARDIM DAS AMÉRICAS
CURITIBA - PARANÁ
81530-150


Reunión principal

DOMINGO
09:00:00


Link externo

Clic aquí para accesar

Clasificación

História do Luz das Américas

Tudo começou no dia 26 de maio de 1985 no clube Sol das Araucárias. O então jovem, Antonio Lima Correa Filho (hoje pastor), foi desafiado por seu líder a deixar o Sol e fundar um novo Clube em alguma outra igreja. Isto lhe soou como um desafio e o jovem Antônio, vulgo Tony, começou sua jornada pelas igrejas da capital. Foi então que, ao chegar na Igreja do Jardim das Américas, empolgou-se, pois verificou que havia um grande número de juvenis e jovens, prontos para novas aventuras. Ali, o desafio começou a tornar-se realidade. Conversa vai, conversa vem, Tony conseguiu uma equipe para integrar a diretoria do novo clube. E foi em 26 de maio de 1985, que aconteceu a primeira reunião do recém-nascido clube. Nela, estavam presentes mais de 30 pessoas entre juvenis, jovens, diretoria e equipe de apoio. Parecia um sonho! Depois de tantas batalhas, a vitória foi conquistada e o desafio vencido. Entretanto, faltava algo ao clube ainda bebê: um nome! Lançou-se a maior competição já vista na cidade: "Quem vai achar um nome para
o clube". Muitas sugestões chegaram. Como exemplo da criatividade dos jovens da época, o nome: Clube de Desbravadores Plim-Plim! Mas Plim-Plim não iria ficar legal ? principalmente considerando-se o contexto "global" da história. Portanto, o veredicto final, o nome escolhido, foi "Luz das Américas"! Luz para iluminar o mundo através do evangelho de Cristo, e Américas devido ao nome do bairro ? Jardim das Américas ? o local onde o Clube começaria seu trabalho de falar de Jesus.
No ano de 1986, o Luz das Américas cumpriu com louvor uma de suas grandes metas: participar do Campori da ASP, o primeiro de sua história, realizado na Ilha dos Peixinhos. Começava ali a tradição de boas colocações em Camporis. Em 1987, o Clube participou do Campori em Castro obtendo, novamente, uma boa colocação. Em 1988, novamente na Castrolanda, o Luz estava lá, representando a força do Clube ainda bebê, mas já experiente.
Os anos passaram. Em 1989, o já não tão jovem Tony anuncia ao Clube e a igreja que vai ingressar no curso de Teologia em São Paulo. Feita a grande despedida, em meio a muito choro, tristeza e ranger de dentes, o idealizador e fundador do Clube Luz das Américas nos deixou, o que fez com que o clube infelizmente fechasse as suas portas.
Corre o tempo, as crianças viram juvenis e em 1992, um ex-diretor associado da primeira formação do nosso clube, Arthur Pinto, retoma a idéia inicial lançada por Tony, e reativa o grande clube Luz das Américas. Neste mesmo ano, o Luz participa do Campori da ASP (Do Vale para Sião), em São Luis do Purunã, obtendo a medalha de ouro no evento de corrida. Em janeiro de 1994, o clube vai ao tão esperado Campori Sul Americano (Na Trilha dos Pioneiros), em Ponte Grossa, e consegue bons resultados, obtendo destaque na engenhosa construção do seu portal e conseguindo estar entre os 10 melhores da América. Já no final do mesmo ano, e com a diretoria em fase de mudança, o clube participa do Campori de São Luis do Purunã (Natureza Mistério do Amor), obtendo uma excelente classificação, o 4 lugar geral.
Nosso então diretor Arthur, depois de muito nos ensinar, despede-se em meio a choro, tristeza e ranger de dentes, deixando sua vaga para David Honneman de Souza. No ano de 1995, fomos ao camporee da USB em Santa Catarina (Jesus e Eu Que Amizade). No ano seguinte, outra despedida: David. Em meio a choro, tristeza e ranger de dentes, ele nos deixa.
Quem assume o clube, em 1996, é Francisco Oro. Neste ano, trocamos a participação no Campori do alagamento, pois nele não sobrou barraca sobre barraca nem roupa seca sobre roupa secapor um acampamento rústico, onde comemos muito pinhão e pizza assada em forno de barro e tijolos, dentre outras atividades. Em 1997, ouviram-se choro, tristeza e ranger de dentes com a despedida do Chico!
Aclair Celestino, vinda direto de Paranaguá, assume a direção do nosso Clube. Neste ano, participamos do Campori da ASP em Ponta Grossa (Nos Passos do Mestre) e obtivemos classificação A. No ano seguinte, após muita preparação, conseguimos uma boa estrutura, tanto de cozinha como de barracas, e partimos para Esteio/RS (Escolhidos pra Brilhar), onde também obtivemos classificação A. No final do mesmo ano, mais uma vez choro tristeza e ranger de dentes: A Aclair nos deixa.
A nova diretora do Clube foi Kimberly Oro. Fomos então ao Campori de Castro (Refletindo Jesus), obtendo a classificação A. Acontece o Bug do milênio. Muda o ano, muda a diretoria e mais uma vez choro, tristeza e ranger de dentes na despedida de Kimberly. Mas, neste caso, ela não nos abandona. Apenas abre alas para que o jovem Geraldo Jasinski Junior, ou apenas Pity, como é mais conhecido por seus desbravadores, assuma a direção do Luz das Américas.
Fomos ao Campori de Rio Negrinho (Mais que o Ouro) onde obtivemos novamente a classificação A. No ano de 2001, o clube participa do Campori da ASP, outra vez em São Luis do Purunã (Somos a Luz do Mundo), e também conquista a classificação A. Em 2002, fomos para Foz do Iguaçu, no Camporee Sul Brasileiro (Pontes de Amizade, Solidariedade e Esperança), onde conseguimos a já tradicional classificação A para o Luz das Américas.
Começa o ano de 2003. Mudam as regras do jogo, e o Luz das Américas vai ao Campori da ASP (Heróis no Serviço), em Castro, perseguindo o novo alvo: Classificação PLUS! E consegue! No ano seguinte, sem camporis, acontece apenas a preparação para o Sul-Americano em 2005. Sul-Americano (Fonte de Esperança) realizado em Santa Helena/PR e o Luz das Américas consegue as 5 estrelas da classificação máxima concedida pela DSA. No mesmo ano, o Clube carinhosamente apelidado de Plus das Américas, consegue mais uma classificação PLUS no Campori da ASP (Fiel a Toda Prova) em Porto Belo/SC e ainda consegue o título de campeão do Campori! No fim do ano, um diretor associado e uma desbravadora conquistam o vice-campeonato no I Concurso de Ordem Unida da ASP e o clube alcança a terceira melhor colocação na ordem unida por clubes e conquista mais uma vez a classificação Plus.
Em 2006, muito choro, tristeza e ranger de dentes aconteceu com a promoção do Pity para Regional da ASP e do Andrei, Diretor Associado para Regional Distrital e ascensão de Guilherme Oro como diretor. Mas nada vai apagar os ensinamentos e as recordações deixadas por cada desbravador e cada diretor do Clube de Desbravadores Luz das Américas. No Campori da ASP (Grande é o Nosso Deus) realizado no Parque da Ciência, região metropolitana de Curitiba, o Luz novamente foi Plus e, de quebra, recebeu as honras de melhor Portal na Categoria Médio, apesar de ele ter sido construído dentro das regras para Mega-Potais.
2007, Campori Paraná Total - Ponta Grossa. A ASP em conjunto com a ANP organizaram o maior Campori da história do estado. Como preparação para este Camporio Luz construiu uma casa no Guarituba, fruto de contatos entre membros do clube e uma família necessitada de lá. Foi pouco perto dos milhares de moradores sem uma residência por lá. Mas fizemos um pouco. Talvez o bastante daquilo que estava ao nosso alcance. Já no Campori, presenciamos uma tempestade de areia, um mega portal e pela primeira vez em nossa história estivemos num Campori lotando 2 ônibus!
No ano seguinte, o clube iniciou com cerca de 80 membros. As atividades foram desenvolvidas até o Campori. Mas antes dele, o clube utilizou a regra 3 e o Guilherme saiu no meio do ano, após choro, tristeza e ranger de dentes, assumindo Lincoln. O Luz ganhou quase tudo no Campori da ASP no Parque da Ciência, mas por alguma razão escusa e indecifrável, as listas foram adulteradas. Fizemos uma área de acampamento com balanços, redes e cantigas de roda, e andamos muito de bicicleta no Campori 2009. Uma nova aventura! Campori da USB em Santa Helena 2010, se Deus quiser, 100 pequenas luzes cor-de-rosa. É esperar pra ver... Enfim fomos em 88 , quase heimhehe.
2011 começa e Mario assume diretoria do Luz por alguns meses, passa em um concurso e vai embora para o Acre. Quem assume a direção do clube é Andrei Voloschen, que conduz o Luz no restante de 2011 e 2012.
Segue então o ano de 2013, com a nova diretora Kimberly Metzker Oro, que nos leva ao Campori da DAS, onde somos 5 estrelas, com louvor.

#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#
#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#

Histórico dos Diretores
1985 - 1989 __Antonio Lima Correa Filho
1992 - 1995 __Arthur Pinto
1996 __Francisco Oro
1997 __Aclair Celestino
1998 __Kimberly Metzker Oro
1999 __Geraldo Jasinski Junior (Pity)
2006 __Guilherme Oro
2008 __Lincoln Arndt
2011 __Mario
2011 - 2012 __Andrei Voloschen
2013 - 2016 __Kimberly Metzker Oro
2017 __Rodolfo Wagner de Oliveira